Jurís

 

BENVINDO DA FONSECA

Em 1980, inicia a sua formação em dança com Ana Macara, tendo continuado os seus estudos no Conservatório Nacional (Lisboa) e na Escola de Formação da Fundação Calouste Gulbenkian com Carlos Caldas e Ulrike Caldas. Prossegue a sua formação com Maggi Black, Bettsy Hog e William Burnman (Nova Iorque) e Ruth Silk (Londres). Em 1984, ingressa no Grupo 7ª Posição, dirigido por Rui Horta. Em 1985, é Solista na Companhia de Dança de Lisboa (CDL) onde Rui Horta coreografa, expressamente para ele, bailados como Insónia e solos como Rhogonae, musicados por Rão Kiao. Neste período trabalha, igualmente, com Patrice Soliero, Mark Bogart e Mark Haim, entre outros.
Em 1986, e a convite do Director Artístico Jorge Salavisa, ingressa como Solista no Ballet Gulbenkian. Em 1990, é promovido a Primeiro Bailarino desta Companhia, continuando os seus trabalhos com os Mestres Tony Hulbert, Ivan Kramar, Rosella Hightower, Irena Milovan, Kasuko Hirabayasahi; exponentes como Itzik Galili, Orad Naharin e Mats Ek; coreógrafos como Vasco Wallenkamp, Christopher Bruce, Jiri Kylian, Nacho Duato, Olga Roriz, Paul Taylor e Hans Van Manen. Com o Ballet Gulbenkian fará uma série de tournées pela Europa, Américas do Norte e do Sul e Ásia.

As suas interpretações de Passaglia Opus I (Wellemkamp), pás-de-deux com a Bailarina Graça Barroso, e Prelúdio à Sesta de um Fauno (Wellemkamp) lhe outorgam os melhores elogios da crítica nacional e internacional, incluindo o Prémio Bailarino do Ano atribuído pelo Correio da Manhã (1989) pela interpretação de Prelúdio….1
Em 1985, coreografa o bailado O Grande Music Hall, no Olympia. Faz diversos trabalhos para a televisão. Inicia um intenso período de criações coreográficas. Em 1989, representa o Ballet Gulbenkian como convidado da Gala Internacional de Madrid, Teatro Albeniz, interpretando o consagrado solo de Prelúdio…; é convidado da Gala de San Pantaleo (III Maratona de Dança), Sardinha, Itália (1990).2 Em 1991, é convidado da Gala Internacional de Sevilha, Teatro Maestranza. Ainda em 1991, coreografa e actua no filme Encontros Imperfeitos, de Jorge Marecos, considerado pela crítica como um dos melhores momentos de dança do cinema português.
Em 1992, é convidado a leccionar na Escola de Dança do Conservatório Nacional. Durante o ano de 1994, é convidado para o Grande Festival de Dança de Itálica, Sevilha; actua como bailarino convidado da Companhia de Dança de Évora, também em Sevilha; é Professor dos Alunos Finalistas do Conservatório de Lisboa; faz parte do Espectáculo de Beneficência em Memória de Carlos Trincheiras. Em parceria com António Laginha e Hernâni Miguel, organiza e participa na homenagem à bailarina Graça Barroso, na inauguração do evento Dança no Centro Cultural de Belém. Assiste Vasco Wellemkamp nos bailados Sinfonia dos Salmos, no Ballet Gulbenkian, e Amar Amália, na Ópera de Géneve.Entre 1996 e 1997, continua o seu trabalho coreográfico, em conexão com o teatro, para as Companhias do Teatro Nacional de Dona Maria II, As Muy Desvairadas, Cenas do Auto da Índia; Grupo de Teatro O Bando (ACARTE), A Nau de Quixibá, e Teatro Experimental do Porto, Henriqueta Emília.
Em 2002, recebe um Prémio de Carreira atribuído pela Associação Primo-Canto. Em 2004, participa no documentário sobre Belgais, produzido pela BBC; é co-fundador da Companhia Lisboa Ballet Contemporâneo (LBC), sendo o seu Director Artístico até 2007.
Em 2006, é convidado a dançar na Gala Internacional «Noite des Étoiles», em Miami, na Florida. Em 2008, faz a reposição do Dueto de A Casa de Bernarda Alba para o Staatsoper, Berlim.
Em 1993, recebeu o prémio “Os Jovens na Criatividade com a ONU”, tornando-se desde então Embaixador da Boa-Vontade da Organização das Nações Unidas.
Do seu reportório coreográfico destacam-se: Máscara (1992), para a Oficina Coreográfica do Conservatório Nacional de Lisboa, com música original de César Viana; Pássaro de Esperança (1992), dedicado aos mutilados da Guerra de Angola e à Organização Médicos Sem Fronteira; Sal-Kapate (1992), Dançar Makeba (1993), Pétalas (1994) para o Ballet Gulbenkian; Xankan (1994), para a Companhia de Dança de Almada; Povo Que Lavas No Rio (1994), pás-de-deux criado especialmente para Amália Rodrigues, em parceria com Bárbara Griggi; Makeba (1995), reposição para a Escola Superior de Dança, Lisboa; Para Que A Terra Não Esqueça (1995) para o Ballet Gulbenkian; Valquírias, de Wagner (1995), sobre água, na Patriarcal de Lisboa; o solo auto-biográfico Renacê (2001), Teatro São Luís; Como Água Para Chocolate, Com os Olhos de… (2003), para a Companhia de Dança de Almada; A Caminhada (2003), para a Escola de Dança do Conservatório Nacional; Dança Árabe, de Tchaikovsky (2003), solo criado especialmente para Belgais mas que vai acabar por dançar com interpretação musical em palco de Maria João Pires (Teatro São Luís). Uma Noite com Ella (Fitzgerald) (2003), em co-produção com o Teatro Municipal de São Luís; Castañeda (2004), para a Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo; A Casa de Bernarda Alba (2005), para o Teatro São Luís; Mar (2006), para o Grupo «Madredeus» e a LBC; Callas (2007), para a LBC, Teatro Camões; Sal-Capate (2007), reposição para o StaatsTheater-Hildesheim (Hannover) e (2008) Escola de Ballet PirminTrecu, Casa da Música, Porto; A Casa de Bernarda Alba (2008), reposição do Dueto para o Staatsoper, Berlim; Edzer (2011), para a Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo; Casa do rio (2011), para a Companhia de Dança de Almada; Uma coisa em forma de assim (2011), para a Companhia Nacional de Bailado. Em 2012 é homenagiado na gala das estrelas de São Domingo (Republica Dominicana), esteve no Festival Iberica Contêmporânia e no Mexico em Queretaro,  coreografa para Companhia de Dança Contemporânia de Evora  Romeu e Julieta ( 2013) e Muito Chão para Companhia de Dança de Almada(2013). Em 29 de Setembro é homenageado com a Gala dos seus 30 anos de carreira pela Companhia de Dança de Almada num evento que contou com uma exposição de todo o seu percurso enquanto bailarino e coreografo e com depoimentos de personalidades nacionais e  internacionais da dança assim como um espetáculo com excertos da trilogia que foi criado para comemorar os seus trinta anos de carreira EDZER, CASA DO RIO E MUITO CHÃO.

 

 

 

RUI PINTO
Iniciou os estudos de dança na Escola de Dança do Conservatório Nacional, em Lisboa, em 1983. Em 1985, a convite do professor Jorge Salavisa, ingressou na Companhia Ballet Gulbenkian como estagiário B e aí alcançou a categoria de 1º Bailarino A.
Trabalhou com os melhores Maîtres Nacionais e Internacionais: Rosella Hightower, Alphonse Poulin, Ivan Kramer, Gradimir Pankov, Irena Milovan, Kasuko Hirabayashi, Patrick Hurde, Carlos Caldas, Elena Madan Vera, Glenn Eddy, George Garcia, Manuela Valadas, Ivonice Satie, Terry Etheridge, Sónia Mota, entre outros.
Interpretou obras de Coreógrafos Internacionalmente conhecidos: Jirí Kylian, Mats Ek, William Forsythe, Hans Van Manen, Paul Taylor, Ohad Naharin, Nacho Duato, Itzik Galili, Mauro Bigonzetti, Diddy Veldman, Cristopher Bruce, Olga Roriz Rui Horta, Vasco Wellenkamp, Gagik Ismailian, Paulo Ribeiro, Cesc Gelabert, Stijn Cellis, Rodrigo Pederneiras, Oscar Araíz, Cristopher House, entre outros.
Trabalhou em Londres, no London Contemporary Dance Theatre com Marion Lane, Karen Bell-Kanner, Linda Gibbs e Robert North.
Frequentou cursos para bailarinos em Londres e, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e do Ministério da Cultura fez o “International Course for Professional Choreographers & Composers” em Bretton Hall, Grã-Bretanha, onde trabalhou com Robert Cohan, Gary Law, Nigel Osborne e Ivan Kramer.
Em Agosto de 1999, foi convidado a representar Portugal no 4º Festival Internacional San Pantaleo na Sardegna, Itália.
Com o Ballet Gulbenkian dançou nas digressões aos Estados Unidos, Brasil, Europa, Ásia e África.
Coreografou para: Ballet Gulbenkian; Companhia de Dança de Almada; Companhia de Dança Contemporânea de Setúbal; Escola Superior de Dança (ESD); Escola de Dança do Conservatório Nacional ; Escola Superior de Comunicação Social (onde é convidado a trabalhar com os alunos do último ano “Introdução ao Movimento” e recebeu a Medalha de Mérito do Instituto Politécnico).
Para produções de Moda Nacional/Internacional.
Para teatro, a peça “O Gato que Chove” de Mário Cesariny, encenado por Maria Emília Correia,no Teatro Villaret, em 1997, com Paulo Pires, José Airosa, Gonçalo Waddington, João Gabriel, entre outros.
Foi convidado a apresentar coreografias suas: na Plataforma de Bagnolet 94; na “4th Elia Conference Lisbon 96? (subordinada ao tema “Reflections on the Human Face”); no Festival de Dança de Casablanca; no Festival de Cugneaux em Toulouse (onde recebeu a Medalha e o Diploma de Mérito); no Festival de Fougères (onde ganhou o 1º Prémio para Jovens Coreógrafos).
No ano 2005 é convidado pela Câmara Municipal de Lisboa (Egeac) para coreografar a “Marcha dos Mercados” e em 2006, para Júri das Marchas Populares de Lisboa.
Em 2004 pediu a pré-reforma no Ballet Gulbenkian, com o objectivo de apostar noutros caminhos artísticos, após 21 anos de profissão.
Em 2005/2006 trabalhou na Companhia Olga Roriz, a convite da Directora, participando: no bailado “O Amor ao Canto do Bar Vestido de Negro”; no Projecto “Felicitações Madame”; em 3 obras “site-specific” ( a 1ª apresentada nas catacumbas da Escola Superior de Dança (ESD), a 2ª na Ilha do Farol em Olhão, Algarve e a 3ª no Teatro São Carlos  em Lisboa ; no filme “Madame”, apresentado no Teatro Camões.
A 7 Julho de 2007 colabora no Centro de Design & Interiores Maria José Salavisa, em Óbidos, a convite da própria e do Presidente da Câmara Municipal. Produziu aí vários eventos artísticos:”Urso Luso” (Canções de Intervenção); “Penicos de Prata” (sobre obras de Natália Correia e António Botto); “Árias de Dança”, espectáculo nos Jardins da Casa Gaeiras (com bailarinos da Companhia Nacional de Bailado e do Grupo Tok´Art, em Agosto de 2008).
Desde Setembro de 2011 tem desenvolvido a actividade de professor: Técnica de Dança Clássica, Técnica de Dança Contemporânea, Repertório Contemporâneo e Iniciação à Improvisação Coreográfica.
Em Outubro de 2012, a convite do professor Alphonse Poulin, Maître e Coordenador da Escola Juilliard School, em Nova Iorque, fez aí um estágio, como observador, do trabalho técnico/artístico que é desenvolvido nessa escola.
No 1º Período lectivo de 2013/2014, foi convidado a dar um Workshop de Dança Clássica na Escola Vocacional das Caldas da Rainha.
No Princípio do ano 2014, foi convidado pelo Coreógrafo Vasco Wellemkamp, para dar aulas à Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo (C.P.B.C.), de que é Director.
No mês de Abril 2014, foi convidado a ser Júri e professor do Festival Dança Viana, na Exponor no Porto.
Foi convidado pela Directora da Escola e Companhia de Dança de Almada, professora Maria Franco, a colaborar no Curso de Verão Julho de 2014, trabalhando com o nível Intermédio/Avançado da Escola.
Foi convidado para dar em Dezembro de 2014, um Workshop no VII Curso Internacional de Dança na Póvoa do Varzim.

 

 

MARGARIDA ISABEL MARTINS
Iniciou seus estudos aos 6 anos na Academia de Bailado Primin Trecu, onde permaneceu  durante 12 anos, efectuando os exames da Imperial Society of Dancing.
-1981  Frequenta a Academia Fátima Vale da Veiga, onde dança em vários espectáculos do Ciclo Portuense de Òpera.
-1984  Frequenta o Curso de Verão da Companhia Nacional de Bailado. Nesse ano é convidada a leccionar no Clube de Judo de Viana do Castelo.
-1985 Frequenta o Curso da Royal Academy of Dancing, tendo como professora Jean Mcdonnel  e o 1º Curso de Verão Primin Trecu onde trabalha com Sheila O Reilly e Eurol Puckering, neste  ano é convidada a leccionar no Porto Academia Teclado.
-1986 Funda a  Academia de Bailado, seguindo  o método de ensino da Royal Academy of Dancing, submetendo anualmente suas alunas a exames. Assiste ao 2º Curso de Verão Primin Trecu, trabalhando com Mónica Saez.
-1987 Desenvolve sua formação em diversos Workshops de Dança Africana , Afro-Brasileira e Dança Contemporânea.
-1988 Lecciona na Caius Music no Porto. Neste ano vai a Londres e finaliza o Curso para professores da Royal Academy of Dancing, trabalhando com Herida May.
-1989  Lecciona na Escola dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez e na Escola do Centro Cívico de Vila Praia de Âncora.
-1995  Leva duas atletas ao Campeonato Nacional de Aérobica.
-1996  Formaliza contrato com o Ginásio Moreira de Sá como professora de Aérobica e com o Maia Club como professora de Dança Clássica.
1997  Coreografa a  Menina do Mar  para o Teatro de Noroeste e coreografa dois  esquemas  para o Campeonato Nacional de Patinagem Artística, para a Escola Desportiva de Viana do Castelo
-1998 A sua formação é enriquecida em Inglaterra com o Curso Fundamentals of Classical Technique e com o Seminário para Professores de Dança Clássica Método Russo “Vaganova” .
.- 1999   Leva uma aluna sua ao Prix de Lausanne.
Realiza o 1º Festival de Dança de Viana e  cria o projecto DANÇA NAS ESCOLAS com o intuito de divulgar a dança no Norte do País.
– 2000  funda a APAM – Associação para a Arte e Movimento na qual  é Presidente e a Companhia de Dança Gau Martins sendo sua  Directora Artística até 2005. Continua a desnvolver sua formação em workshops de Hip-Hop, FunK e Danças Latinas.
– 2001 Para a Companhia Gau Martins coreografa  Harém e Pecados coreografias  que estiveram na Semana da Dança 2001- Cine Teatro S. João Palmela, Teatro Diogo Bernardes, Exponor, Teatro Sá de Miranda no 2º Encontro de Enfermagem e Pediatria-Neonatologia do Hospital de Santa Luzia  na Escola Superior de Educação de Viana do Castelo inserido no programa o ano Europeu das Línguas.
-2001 É Presidente da Cooperativa Casa das Artes, continuando a leccionar Dança Clássica, Dança Moderna, Jazz, Dança Kids, Pilates, Body Balance, Body Combat, Body Pump, Localizada ,Hidroginástica, paralelamente como bailarina e instrutora participa  em  espectáculos e demonstrações  a nomear  “Casa  das  Artes  em Palco”(3 edições), “Mascaras” no Teatro Sá de Miranda, Teatro Diogo Bernardes,  Café Teatro, Escola Secundária da Abelheira, Liceu de Santa Maria Maior,  palcos ao ar livre Praia da Mariana e Praia Norte.
-2006  Fica com a Direcção Cultural do Café Teatro em Viana do Castelo, onde produz espectáculos de dança, musica, exposições de pintura, coordena e coreografa desfiles de moda de nomear Moda Viana ,com as coleções  Outono-Inverno   das lojas Diego Martin,  P´raputos,  Sex Appeal,  Alain Manoukian,  Kookai .
-2007 Lecciona na Escola de Ballet de Leça da Palmeira e Solmaia Ginásio.
-2008 Directora  Pedagógica da  Academia de Dança Joana Reis e Directora Artística de Bodyland Escola de Dança. Coreografa ” Princesas” espectáculo criado para o Natal de 2007 para a Cãmara Municipal do Porto. Coreografa ” Animação” para  palco colocado no trajecto do desfile de Pais Natal organizado pela empresa Municipal Porto Lazer.
Cria o Projecto Cultural Dança, liderado pela APAM. programa executado em 7 escolas básicas no Porto, aos alunos é oferecida a oportunidade de aprender uma ampla gama de técnicas e estilos dança, incluindo hip hop, dança contemporânea, ballet e Jazz.
Em 2009 cria o Projecto PortoDança e a APAM Escola de Dança que realiza regularmente ao longo do ano lectivo vários espectáculos, onde os alunos têm a oportunidade de se apresentarem em frente aos amigos, famíliares e a outros alunos de dança, no final do ano lectivo realiza o “Espectáculo de Encerramento” onde os seus alunos apresentam uma ou mais coreografias em uma prestigiada sala de espectáculos.
Desde 1999 promove o Festival de Dança de Viana hoje chamado Festival Norte Dança já na sua 19ª edição mantendo sempre em paralelo a sua carreira de professora e coreografa.

 

NELSON STEIN
Iniciou o seu percurso na dança aos 10 anos com aulas de Hip Hop de onde surgiram as suas primeiras performances. Aos 11 já coreografava para pequenos grupos criados por si para representar a sua escola em alguns eventos. A partir desse momento começou a frequentar aulas e workshops de New Style, Old School, Fusion, Contemporâneo, Clássico, Ragga, Dancehall, Vogue, Kuduro, Afro House, entre outros importantes na sua aprendizagem, dos quais destaca nomes como Laure Courtellemont, Jandira Baptista, João Cabaça, Dorottya Kiss, Amélia Bentes e Bárbara Griggi . Em 2015 terminou a Licenciatura em Dança na Escola Superior de Dança e integrou recentemente o ensemble do musical A Cinderela no Gelo. O seu movimento caracteriza-se pela fusão de estilos que foi aprendendo ao longo dos anos, tendo cada performance, coreografia e/ou trabalho seus, apontamentos desses diferentes estilos.

Saiba mais